O que procura?

...

Fake news, usuarios falsos e o grupo Comprinhas no Paraguai

Publicado em 03/06/2018




AS REDES SOCIAIS COMO INSTRUMENTOS DE MANIPULAÇÃO.

Como administradores do grupo "Comprinhas no Paraguai", podemos observar alguns fenômenos que escapam aos olhos de simples usuários da internet, e até dos médios tradicionais de informação. Aqui eu relato alguns fatos que foram motivo de surpresa para nós durante o último movimento no Brasil, que foi a greve dos caminhoneiros.

Nosso grupo foi criado em maio de 2017 e alcançou perto de 64 mil usuários agora pouco um ano depois. Este número de pessoas é suficiente para realizar inferências por amostragem do que provavelmente seja o mundo do Facebook como rede social, e como grandes organizações podem estar usando esta plataforma a nível mundial para induzir formas de pensar na população.

Isto sem dúvida é um fato, já que o próprio diretor do Facebook, Mark Zuckerberg, teve que ir recentemente ao senado americano para explicar como, os dados de 87 milhões de pessoas vazaram a través de uma empresa de marketing na Inglaterra chamada Cambridge Analytics.

Mas uma coisa é você ler pela imprensa, e outra perceber diretamente até que ponto a rede está infiltrada, e como grupos de pressão operam nela para obter benefícios.

Nosso grupo é utilizado para trocar informações entre turistas e compradores que viajam ao Paraguai. Logo de operar por 8 meses em forma livre, fomos obrigados a tornar ele como moderado, onde os administradores devem aprovar previamente os posteos. Isto foi uma imposição pela quantidade de tópicos repetidos e/ou de baixa qualidade que estavam sendo colocados no grupo.

Os administradores do grupo tem bem estabelecida a tarefa de moderação, e geralmente são evitados posts de marketing ou perguntas repetidas. Mas no dia 22 de maio durante a madrugada, algo estranho aconteceu no grupo. Naquele dia iniciava a greve dos caminhoneiros a nível nacional, e naquela madrugada observamos como umas 30 pessoas diferentes postaram quase ao mesmo tempo 30 vídeos com proclamas, discursos e registros de manifestações pelas estradas do país.

Estes posts evidentemente foram evitados, mas na madrugada seguinte o efeito se repetiu, e começou a se manifestar durante o dia todo, com pessoas colocando uma e outra vez posts com vídeos fazendo propaganda ao movimento. A quantidade era tão grande que começamos a eliminar tanto os posteos quanto os próprios usuários, para que não voltem a repetir o post logo depois. E assim o fluxo de vídeos voltou a se repetir dia após dia por uma legião de novos usuários que pareciam inesgotáveis.

Mesmo eliminando os usuários, outros novos apareciam constantemente e inundavam a fila de posts com vídeos de ordem sobre o movimento. O natural era supor que as pessoas "honestas" a favor estavam se registrando constantemente no grupo para postar sua propaganda a favor da greve. Por tanto, grande foi nossa surpresa ao verificar que quase a totalidade destes usuários já estavam presentes no grupo desde o momento da sua criação, um ano antes.

Quase todos eram pessoas que nunca participaram nem uma única vez no grupo, estavam ali provavelmente esperando alguma ordem de alguém para se manifestar, como aquelas células dormidas que operam em outro nível nos EEUU e na Europa.

Quando o movimento grevista foi minguando, as autoridades brasileiras emitiram comunicados sobre organizações que estavam usando as redes sociais para tentar prolongar o fato, e efetivamente, nos observamos que os vídeos continuavam aparecendo sem pausa, até que finalmente começaram a desaparecer.

A pergunta que ficou para nos é: quem mandou estas pessoas se registrar no grupo já no momento da sua criação? Foram empresas de publicidade que oferecem aos interessados "usuários fake" para emitir opiniões por um preço? Foram organizações políticas que estão infiltrando constantemente milhares de "fakes" nas redes, somente esperando o momento certo para agir? E que porcentagem de usuários são pessoas reais e que porcentagem são falsos usuários?

Se grupos pequenos como o nosso mostram estes sintomas, é possivel deduzir com bastante segurança que toda a rede Facebook (e provavelmente Twitter, Instagram e outras) estão infestadas com milhares, talvez milhões de "fakes" esperando só uma ordem para agir em determinadas circunstâncias.

Paralelamente, um outro fenômeno começou a se verificar cada vez com maior frequência no grupo: os estranhos "usuários em negrito", pessoas que conseguem se registrar por mostrar um perfil normal, mas logo depois, usando algum artifício ainda desconhecido por nos, mudam seu perfil de maneira que fica como um texto normal em negritas. Ele não sente os efeitos do mouse e não pode ser aberto de forma alguma para ver o conteúdo. Hoje somam centenas no grupo, e embora fazemos um trabalho constante de limpeza para elimina-los (por sorte o Facebook facilita sua localização), estão entrando sem parar.

Novamente a pergunta é: para que?, qual o objetivo destes usuários fantasmas?

Fica aqui o registro, caso seja de interesse para alguém. Logo haverá eleições gerais no Brasil e é provável que durante muitos meses as redes sociais sejam inundadas por "honestos cidadãos" indignados por este ou aquele candidato, ou mostrando sua "sincera admiração" pelo outro candidato. Vivemos num mundo do faz-de-conta de tal nível, que logo ninguém vai saber o que é certo ou errado no planeta Terra.

Moderadores do grupo "Comprinhas no Paraguai"


Referências

Facebook remove rede brasileira de engajamento falso

https://www.gazetadopovo.com.br politica/republica/chorao-e-ex-petista-quem-sao-os-agitadores...

https://linkprofissao.wordpress.com/2015/06/07 como-identificar-falsos-perfis-no-linkedin

http://projetual.com.br/fake-news-nas-redes-sociais



RETORNA AO INDICE



©MEUCAT 2001-2018 - Os direitos humanos deste site estão registrados no 7 Cartorio de Curitiba Contato
Sobre Nós Política de privacidade - WEB Desing by MEUCAT Enterprises Inc. Corp. - BRAZIL - TWITTER